13 de outubro de 2014

A decadência do verão


Costumo brincar que onde moro só existem duas estações no ano. O inverno que dura aproximadamente 2 meses e o verão aloucado que nos acompanhada pelos outros 10 meses. Para alguns a chegada do verão é comemorada intensamente. Está aberta a temporada dos vestidos, shorts curtos, sandálias, piscina, mar, ventilador, ar condicionado, cerveja geladinha e todo mundo se divertindo.

Para você que se identificou com o parágrafo acima, tenho que te dar os meus parabéns e dizer que morro de inveja de você. Esse verão que eu descrevi não existe pra mim. Na realidade ele me parece com uma bela propaganda de bronzeador. Acima dos 30 graus centígrados a coisa para de ser divertida e passa a ser sofrida.

No calor fica impossível manter a elegância, fica impossível se manter bem o dia todo. Por mais que você tome um belo banho e saia de casa decente, em menos de 30 minutos você já está desfigurada. O cabelo gruda na cabeça, a franja cola na testa e apesar de ter demorado horas para se arrumar, rapidamente você desarruma tudo com um coque ou um rabo de cavalo de qualquer jeito. E a maquiagem? Se ela durar mais de uma hora você pode comemorar.

A minha volta para casa costuma ser celebrada com extrema felicidade. É o momento do dia que me pego sendo agraciada em poder tirar as roupas formais de trabalho e posso finalmente colocar um short curto, uma blusa regata e libertar meus pés das sapatilhas sufocantes.

Por falar em volta para casa, esse é também o momento de maior pavor do meu dia, pois a gente nunca sabe o tamanho do engarrafamento que vai encontrar pelo caminho. Quem anda de carro sem ar condicionado ou de ônibus, sabe bem do que estou falando. Se você quer saber como é ser assado em um forno é só pegar um trânsito em um dia quente de verão e pronto, a experiência é garantida.

Para fechar com chave de ouro o meu terror incomensurável pelo verão, tem a chegada do horário de verão. Ah sim, já não basta sofrer com o calor e com a falta de disposição. Temos que lidar com uma mudança de horário brusca que nos faz dormir mais tarde e acordar mais cedo. Meu corpo não entende porque tá tudo em um horário novo e no outro dia me sinto um zumbi, pois a noite de sono não foi completa.

Para quem, assim como eu trabalha fora, essa época do ano é sofrida, desconfortável, sufocante e abafada. Trabalho em uma unidade de saúde do SUS, então, ar condicionado é um item fora da lista. Não posso tirar férias nessa época, por causa de escala de funcionários e muito menos posso me ausentar por uma noite mal dormida... E depois me perguntam porque eu não gosto do verão!


Comente com o Facebook:

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...