9 de dezembro de 2014

A falta que me faz



Essas últimas semanas tem sido uma montanha russa de sentimentos para mim. A vida resolveu pregar umas peças e me vejo presa no momento presente sem poder dar um passo à frente, porque a decisão de onde eu vou ou o que vou fazer não depende de mim.

Parece loucura, né?! A verdade é que preciso me mudar antes que termine o ano. O dono da casa que eu alugo quer ela de volta, até aí tudo bem. Era só procurar um novo lugar, juntar minhas tralhas e ir. Mas a vida, essa danadinha, vem e me traz uma nova possibilidade. Talvez eu consiga voltar para minha cidade natal, mas preciso de uma reposta que depende de outras pessoas, outros fatores e não posso ter certeza de quando vou saber. Pode ser hoje, pode ser amanhã ou semana que vem.

E aí? Me mudo e corro o risco de logo assim que me estabelecer na casa nova, tenha que desmontar tudo e mudar novamente? Ou fico aqui, e espero até o último minuto possível, correndo o risco de não achar uma nova casa que me atenda como preciso? Essas perguntas que não saem da minha cabeça me fizeram entrar em um estado de ansiedade, de angústia, um estado de falta que não consigo explicar, pois me falta certezas, me falta estabilidade, me falta o futuro.

E me pego pensando que é assim que a maioria das pessoas vive experimentando a vida. Vivemos um futuro que não chega, ansiando um sonho a se realizar, querendo o amor que não vem, um novo emprego, uma nova viagem. Acho que é mais fácil viver jogando o tempo para frente, adiando a felicidade para o dia que as coisas acontecerem finalmente. E quando acontecem já queremos outras, instantaneamente, pois é de falta em falta que aprendemos a viver de vazios.

E quanto mais sentimos esse vazio, mais faltas experimentamos. Falta de se sentir em paz, de acordar bem consigo mesmo, de viver experiências que o dinheiro não compra, de ter tempo para fazer o que se ama. E quanto mais faltas conhecemos, mais energia gastamos sentindo um buraco que nunca é preenchido.

Nós nos preocupamos tanto com a felicidade logo ali, que deixamos ela escapar aqui. O hoje tem tanta poesia embutida nele. Uma tarde de chuva mansa, uma música nova que nos traz alegria tocando no rádio, uma tarde com amigos queridos, um fim de semana largado na cama assistindo os filmes que se gosta, um fim de noite lendo os seus livros preferidos sem pressa. Tem tanta coisa para ser vivida hoje.

Sonhar e querer um futuro melhor não é pecado, mas deixar de viver a caminhada em nome da falta, não vale a pena. Devemos enfrentar a vida e ser feliz enquanto o desejo não chega. Devemos preencher a falta do amanhã com a presença do hoje. E se o futuro não chegar como o esperado, tanto faz, o mundo não vai acabar. Aprenda uma nova rota, faça um novo plano, faça piadas com o desvio e se mesmo assim não der, ria da derrota. Não dá para ganhar o tempo todo e com isso não podemos perder tempo tentando modificar aquilo que não tem solução, mas dá para encarar a vida com mais leveza.

Não conseguiu conquistar o amor daquela pessoa que você tanto quer? Não teve o aumento de salário que tanto almejou? A entrevista de emprego foi ruim? Invista em novas possibilidades, perca tempo com você mesmo, se conhecendo, aprendendo e tendo certeza que novos caminhos vão surgir. A vida é imprevisível e coisas boas vão chegar a qualquer momento. Deixe a vida te presentear com um novo amor que você conheceu em uma saída despretensiosa em um domingo à noite, faça do seu hobby um novo trabalho, conheça novos amigos, saia, converse, diga sim mais vezes, experimente. Leve tombos, levante e sacuda a poeira. Não controle tudo e enquanto o futuro não vem, preencha a falta que te faz com momentos.

Comente com o Facebook:

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...